top of page

TENDÊNCIAS ALIMENTARES 2023

Dois mil e vinte e dois a terminar e um novo ano à porta.



Ano a terminar e iniciam as previsões alimentares para o ano seguinte. Um dos factores que será tido em conta, fruto da instabilidade financeira é o preço dos produtos, fazendo com que o momento da compra seja necessariamente um acto mais ponderado.

Devido à situação económica que atravessamos, a comida enlatada irá ganhar destaque, dado que os produtos frescos, principalmente fontes de proteína (carne e peixe), serão dispendiosos e de difícil acesso a muitas famílias.

Ficaste curioso/a para descobrir as tendências? Continua a ler!



1. Peixes em conserva

Com o aumento de preço dos bens alimentares, é notório aumentos abruptos em alimentos fontes de proteína.

As opções enlatadas são uma ótima forma de obter ómega-3 sem que seja necessário gastar tanto no supermercado.

A inovação neste tipo de produtos tem crescido também, com a adição de especiarias, outros tipos de peixe e maior oferta alimentar. Muito possivelmente houve também um entendimento da indústria ao aumento do seu consumo.



49% dos consumidores afirmam ter alterado a sua alimentação nos últimos anos de forma a levar um estilo de vida mais ecológico


2. Menos popularidade para alimentos de base vegetal

Parece estranho não é? Numa altura em que a crise se instala como assim uma diminuição destes produtos?

Nos últimos meses tem existido uma queda significativa nas vendas de produtos processados de base vegetal (tais como croquetes, almôndegas e hambúrgueres). Entre os motivos para esta queda estão o custo, o sabor e o crescente ceticismo acerca dos alegados benefícios à saúde, dado que se tratam de alimentos ultra-processados.

Esta tendência parece também existir fruto de um maior conhecimento do consumidor sobre os produtos alimentares.

Na verdade a tendência não será a diminuição de alimentos vegetais mas sim os seus processados.


3. Produção ecologicamente correta

Globalmente, 49% dos consumidores afirmam ter alterado a sua alimentação nos últimos anos de forma a levar um estilo de vida mais ecológico. Consequentemente, também exigem um padrão mais elevado relativamente às marcas que escolhem para ter nas suas mesas, onde requerem práticas ambientais mais conscientes.


Cada vez mais existe consciência de que salvaguardar o ambiente deve ser uma prioridade, além do cuidado crescente pelo bem-estar e saúde.

4. Personalização alimentar

O que funciona para o bem-estar de uma pessoa pode não ser ideal para outra. Uma estratégia de “tamanho único” para saúde e alimentação decresceu bastante em favor de abordagens personalizadas. Assim, 63% dos consumidores afirmam que estão interessados em alimentos e bebidas personalizados para atender às suas necessidades nutricionais.

Avizinha-se um ano de muita ponderação no momento da compra e, esperamos maior consciência. Muitas vezes é em momentos de crise que existem boas “reviravoltas”.


Escrito por: Daniela Duarte | Mariana Cortes

Um feliz e consciente 2023

69 visualizações0 comentário